Notícias

Comissão interna realiza primeira reunião para discutir metodologia de trabalho

Na manhã da última terça-feira (20), a Comissão de Implantação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) realizou sua primeira reunião de trabalho, para dar início aos procedimentos para adequação da autarquia aos requisitos da lei nº 13.709, aprovada em agosto de 2018 e com vigência a partir de agosto de 2020. A comissão foi instituída pela Portaria CRCPR 031/2021, de 18 de março,  é coordenada pelo vice-presidente de Administração e Finanças do Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CRCPR) e integrada pelos funcionários Adriana Iaizzo Magalhães (Imprensa), Alisson Bobato Dalsanto (Comprasa e Licitações), Celita Zaidovicz Paltanin (Registro), Dirceu de Fátima Zonatto (Desenvolvimento Profissional), Jeferson Luiz Lucaski (Fiscalização), Jeruza Fernandes Moura Burges (Governança, Riscos, Compliance e Qualidade), Martin Neufeld (Jurídico), Maurício Ostrowski Júnior (Gerência Operacional), Rogers Silva Garcez das Neves (TI), Valdair de Souza (Contabilidade, Finanças e RH), e Wanderlúcio dos Santos Leite (Jurídico).

Figueiredo iniciou os trabalhos informando que o processo licitatório para contratação de uma empresa de consultoria para orientar os trabalhos necessários para a adequação dos processos da autarquia aos requisitos da lei. Informou ainda que todos os funcionários e colaboradores serão envolvidos, participando de entrevistas com representantes dessa empresa, que ajudarão a mapear as necessidades de cada área.

"Levando em conta que a natureza das nossas atividades pressupõe que todos tenhamos, em algum momento, certo tipo de acesso a dados e informações consideradas sensíveis segundo as determinações prevista na LGPD, o engajamento de todos é fundamental para que tenhamos sucesso neste empreendimento", disse o vice-presidente.

O presidente do CRCPR, Laudelino Jochem, fez questão de participar desse primeiro encontro para incentivar esse engajamento referido por Figueiredo. Ele enfatizou a importância de todos serem detalhistas na análise dos documentos e processos de suas áreas, "pois disso depende a elaboração de boas políticas, essenciais para que lidemos adequadamente com os dados que nos são confiados pelos profissionais da contabilidade e para que, como operadores de dados, possamos todos estar protegidos e tranquilos para executar nosso trabalho", disse




Figueiredo informou ainda que a cooderandora de Governança, Compliance, Riscos e Qualidade, Jeruza Moura Burges, desempenhará o papel de Encarregada ou DPO (Data Protection Officer), responsável por auxiliar a instituição na estruturação do programa segurança dos dados que estão em sua responsabilidade.  

Na próxima sexta-feira (23), está agendada uma reunião com todos os funcionários para informar sobre o papel de cada um no processo de implementação e acerca dos primeiros passos em cada setor.

Reprodução permitida, desde que citada a fonte.